top of page
Buscar
  • Tomara! Educação e Cultura

Monitoramento e avaliação do programa “UK-Brazil Skills for Prosperity”

Projeto encerrado em março de 2023, com duração de três anos, para a Fundação Lemann para implementação e aprimoramento do plano de monitoramento e avaliação do Programa “UK-Brazil Skills for Prosperity”.

O Skills for Prosperity foi uma iniciativa global do Reino Unido implementada em nove países. No Brasil, buscou democratizar o acesso ao ensino e aprendizagem da Língua Inglesa em escolas públicas, potencializando a inclusão, o crescimento econômico e tendo como foco das intervenções a equidade racial e de gênero. Já impactou mais de 2 milhões de estudantes em cinco Estados (Amapá, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná) e cerca de 14 mil professoras e professores brasileiros nos seus três anos de duração com seus materiais didáticos e formações.


A Tomara! foi responsável pelo monitoramento, pela avaliação e pelo registro dos aprendizados da iniciativa. Nosso trabalho envolveu a revisão da teoria da mudança do programa; atividades de monitoramento e avaliação, incluindo a construção de sistema de monitoramento da intervenção. Foram realizados planos, instrumentos, protocolos de coletas de dados, relatórios sintéticos de resultados parciais de monitoramento e de avaliação, entre outros - materiais de circulação restrita.


Dentro do programa, em 2021, o British Council lançou o edital Meninas que vão além” (MQVA), para apoiar projetos dedicados à formação de estudantes negras do 8o. e 9o. ano do Ensino Fundamental sobre temas relacionados a: profissão, equidade racial e de gênero e projeto de vida. O edital selecionou 6 organizações brasileiras que receberam apoio financeiro e acompanhamento ao longo de toda a duração dos projetos.


No MQVA, a Tomara! esteve próxima das iniciativas para a produção de um estudo de caso, no âmbito da frente de aprendizados do Skills for Prosperity. O objetivo desse trabalho, intitulado "Meninas que vão além: ampliando projetos de vida, estudo e carreira de meninas negras do ensino fundamental”, foi aprofundar o entendimento e o conhecimento sobre essa iniciativa, trazendo o olhar das gestoras das organizaçºoes e das estudantes negras envolvidas nas atividades. Para realização deste estudo de caso, a Tomara! realizou entrevistas em profundidade com as gestoras das 6 organizações contempladas pelo edital e 2 rodas de conversa com estudantes de 2 das organizações, uma de São Paulo (SP) e outra de São Luís (MA). Ana Luiza Mendes Borges, que liderou o estudo de caso e é sócia da Tomara!, explica que:


"A ideia era que, com essas entrevistas e rodas de conversa, fosse possível trazer os aprendizados e conteúdos discutidos nessas formações, como elas entendiam o seu lugar na sociedade, como participar do "Meninas que vão Além" impactou seu papel e atuação, se tiveram algum ganho em relação a perspectivas de futuro."

As entrevistas aconteceram remotamente, via plataformas online, e as rodas de conversa aconteceram presencialmente, nos locais onde foram realizadas as atividades do MQVA no colégio em que as participantes estudam, escolha também importante para criar um ambiente de segurança psicológica para as meninas e mulheres envolvidas na iniciativa. Adriana Tolentino (2023, p.30) discorre sobre o objetivo do estudo no material publicado:


"Este estudo buscou compreender como as aprendizagens vivenciadas por estudantes negras do Ensino Fundamental durante sua participação no MQVA impactaram a percepção de si e as perspectivas de vida, trabalho e formação de adolescentes a fim de subsidiar a elaboração de futuras políticas e programas educacionais com foco no enfrentamento das desigualdades sociais, raciais e de gênero."

Os temas levantados por Adriana e Alexandre, os dois pesquisadores doutores brasileiros negros que conduziram as entrevistas e rodas de conversa, foram muitas vezes difíceis, porque abordam questões do racismo profundo incrustado na realidade dessas jovens periféricas e de baixa renda. Mas, a análise foi capaz de revelar a percepção de impacto positivo para as participantes, sobretudo em relação ao

encontro entre as meninas e as mulheres negras, que se reconheceram e ampliaram s reflexão sobre sua atuação no mundo e seus desafios e sonhos de futuro.


O impacto gerado pelo MQVA é evidenciado pelos relatos dessas meninas e mulheres negras que tiveram espaço importante de conversa e troca sobre temas delicados de forma aberta e acolhedora. As rodas de conversa ofereceram a elas a oportunidade de escuta, expressão, fala e troca em ambiente seguro, com respeito e consideração das suas opiniões. O processo do estudo de caso esteve conectado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, sobretudo, ODS 5 (Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas), 8 (Trabalho decente e crescimento econômico) e 10 (Redução das desigualdades).


Confira aqui o material, editado em português e em inglês, do estudo de caso Meninas que vão Além:


Sousa, Adriana Tolentino. Estudo de caso : meninas que vão além [livro eletrônico] : ampliando projetos de vida, estudo e carreira de meninas negras do ensino fundamental /Adriana Tolentino Sousa, Alexandre Bortolini. – 1. ed. – São Paulo : Tomara! Educação e Cultura, 2023.


Ficha técnica:

Ano: 2020-2023

Status: finalizado

O que realizamos: Monitoramento e avaliação, Pesquisas e Estudos, Planejamento e estruturação de iniciativas

Cliente:





Комментарии


Комментарии отключены.
bottom of page